Guia de segurança on-line do Stardoll para Pais & Educadores

Como na vida real, você precisa ensinar o(a) seu(sua) filho(a) a evitar riscos e a como se virar em diferentes situações. Aconselhamos que você defina junto com o(a) seu(sua) filho(a) as suas próprias regras para o uso do computador e da Internet. Ao assumirem a responsabilidade sobre como os filhos utilizam o computador on-line, os pais podem minimizar consideravelmente os riscos potenciais de permanência on-line. Nossa experiência nos conta que muito de nossos jovens usuários estão muito conscientes da ética na Internet, reagindo quando alguém transgride as regras. Eduque o(a) seu(sua) filho(a) para torná-lo(a) um(a) bom(boa) cidadão(ã) on-line, para nos ajudar a manter este ambiente seguro. Transforme as seguintes atitudes em regras de família:

* Nunca forneça informações identificáveis (por exemplo, endereço residencial, nome da escola ou número de telefone) em uma mensagem pública, como bate-papo ou grupos de notícias, e certifique-se de estar lidando com alguém que você e o(a) seu(sua) filho(a) conheçam antes de passar essas informações por e-mail. Pense bem antes de revelar informações pessoais como idade, informações financeiras ou estado civil. Não publique fotos dos seus filhos em grupos de notícias ou em sites da Web disponíveis ao público. Considere usar um pseudônimo, evite listar o nome e o endereço de e-mail do(a) seu(sua) filho(a) em diretórios e perfis públicos e descubra quais são as políticas de privacidade do seu ISP, fazendo suas opções no que se refere a como as suas informações pessoais podem ser usadas.

* Incentive seu(sua) filho(a) a ser cauteloso(a) ao revelar informações pessoais. É importante que os adultos saibam que muitas páginas da Web criadas para crianças exigem o fornecimento de informações pessoais para acessar conteúdo. É essencial estar ciente de quando e onde essas informações pessoais podem ser reveladas com segurança. Com simples regra, você pode determinar que seu(sua) filho(a) não forneça seu nome, seu número de telefone ou sua foto sem a sua aprovação.

* Conheça a Internet e os serviços que o(a) seu(sua) filho(a) usa. Se você não souber como fazer logon, peça a ajuda do(a) seu(sua) filho(a). Faça com que ele(ela) mostre o que está fazendo on-line e familiarize-se com todas as atividades disponíveis on-line. Descubra se o(a) seu(sua) filho(a) tem uma conta de e-mail gratuita com base na Web, como as oferecidas pelo Hotmail e pelo Yahoo, e aprenda os nomes de usuário e as senhas.

* Converse sobre os riscos associados a encontros pessoais com amigos da Internet. Os adultos devem compreender que a Internet pode ser um local de encontro positivo para as crianças, onde elas podem conhecer outras crianças e fazer novos amigos. Entretanto, para evitar experiências desagradáveis, é importante que as crianças não se encontrem com estranhos que conheceram na Internet sem estarem acompanhadas por um adulto, por amigos ou por outras pessoas de confiança. Em qualquer caso, os filhos sempre devem ter a aprovação dos pais primeiro.

* Nunca responda a mensagens sugestivas, obscenas, hostis, ameaçadoras ou que o façam se sentir inconfortável. Incentive seu(sua) filho(a) a contar se receber mensagens desse tipo. Se você ou seu(sua) filho(a) receberem uma mensagem de assédio, de natureza sexual ou ameaçadora, encaminhe uma cópia da mensagem para o ISP e peça assistência. Forneça instruções para que o(a) seu(sua) filho(a) não clique em nenhum link contido em E-mails enviados por desconhecidos. Esses links podem ativar sites sexualmente explícitos ou de conteúdo impróprio ou também podem ser um vírus de computador. Se alguém enviar a você ou ao(à) seu(sua) filho(a) mensagens ou imagens vulgares, indecentes, grosseiras ou obscenas com a intenção de abusar de você, molestá-lo ou ameaçá-lo, ou se você ficar sabendo sobre a transmissão, o uso ou a visualização de pornografia infantil enquanto estiver on-line, informe o problema imediatamente à NCMEC's CyberTipline, no telefone, 1-800-843-5678, ou pelo site www.cybertipline.com. Defina regras e instruções sensatas para o uso do computador por parte do(a) seu(sua) filho(a).

* Lembre-se de que as pessoas on-line podem não ser quem aparentam. Como você não consegue ver ou ouvir a pessoa, é muito fácil alguém apresentar uma falsa imagem de si próprio. Portanto, uma garota que indique ter 12 anos de idade pode, na verdade, ser um homem de 40 anos.

* Lembre-se de que nem tudo o que você lê on-line é verdade. Qualquer oferta boa demais para ser verdade provavelmente é uma ilusão. Fique atento a ofertas que envolvam participar de reuniões, receber a visita de pessoas ou enviar dinheiro ou informações de cartão de crédito.

* Não seja crítico demais em relação a como o(a) seu(sua) filho(a) explora a Internet. Crianças podem acabar visualizando material adulto por acidente na Web. Se uma criança procurar intencionalmente sites com conteúdo adulto, lembre-se de que é natural que crianças fiquem curiosas sobre materiais proibidos. Tente usar o acontecimento para discutir o conteúdo e talvez determinar regras para esse tipo de atividade. Seja realista na sua avaliação de como o(a) seu(sua) filho(a) utiliza a Internet.

* Defina regras e instruções sensatas para o uso do computador por parte do(a) seu(sua) filho(a). Discuta essas regras e coloque-as perto do computador como lembrete. Lembre-se de monitorar a obediência do(a) seu(sua) filho(a) a essas regras, especialmente no diz respeito ao tempo que ele(ela) passa em frente ao computador. O uso excessivo de serviços on-line ou da Internet por parte do(a) seu(sua) filho(a), especialmente tarde da noite, pode ser sinal de um possível problema. Lembre-se de que computadores pessoais e serviços on-line não devem ser usados como babás eletrônicas.

* Verifique junto com o(a) seu(sua) filho(a) os aplicativos de bloqueio, filtragem e classificação. Certifique-se de fazer disso uma atividade diária. Considere manter o computador na sala de estar e não quarto do(a) seu(sua) filho(a). Conheça os seus amigos on-line como você faria para conhecer qualquer outro amigo. Se o(a) seu(sua) filho(a) tiver celular, converse sobre como usá-lo com segurança. As mesmas regras que se aplicam ao uso do computador devem ser aplicadas a celulares.

* Ensine seu(sua) filho(a) a analisar qualquer tipo de fonte na Internet. A maioria das crianças usa a Internet para melhorar e desenvolver conhecimentos em lições de casa e interesses pessoais. Os usuários da Internet devem estar cientes de que nem todas as informações on-line estão corretas. Eduque as crianças sobre como verificar as informações descobertas, comparando fontes alternativas sobre o mesmo tópico.

* Incentive uma boa "Netiqueta". "Netiqueta" é o código informal de conduta na Internet. Como na vida diária, existem regras éticas informais de comportamento para a relação entre as pessoas na Internet. Essas regras incluem boa educação, uso do vocabulário adequado e não falar alto (escrever em letras maiúsculas) ou assediar os outros. Além disso, as crianças e os adultos não devem ler os e-mails dos outros ou copiar materiais protegidos.

* Lembre-se de que os aspectos positivos da Internet superam os negativos. A Internet é um excelente recurso educacional e recreativo para crianças. Incentive o(a) seu(sua) filho(a) a ser consciente e a explorar todo o potencial da Internet.
Essas dicas têm como base as sugestões do NCEMC (National Center of Exploited and Missing Children) norte-americano, www.safekids.com, e do SAFT (Safety Awareness, Facts and Tools) europeu, www.saftonline.org.

* Regras de segurança on-line para crianças (em inglês) (imprima e coloque perto do computador em casa) www.safekids.com/kidsrules.htm

Esta informação foi útil?

Não encontrou o que estava procurando?

Verifique nossas Perguntas Frequentes .
Se você não encontrar o que procura aqui, entre em contato conosco aqui.