Guia de Segurança Online da Stardoll para os Pais & Professores

Todos sabemos que as crianças devem ser ensinadas a evitar riscos e a lidar com diferentes situações na vida real. O mesmo se aplica às atividades virtuais e ao uso da Internet. Encorajamos todos os pais a acompanhar os seus filhos e a estabelecer regras acerca do uso do computador e da Internet. Esta atitude de responsabilidade faz toda a diferença na minimização dos potenciais riscos do uso da Internet. Sabemos, por experiência, que muitos dos nossos jovems usuários têm um bom conjunto de valores éticos e sabem como se comportar na Internet, reagindo, por exemplo, quando alguém quebra as regras. Recomendamos que se envolva na educação da(o) sua(seu) filha(o) e que a(o) ensine como se comportar na Internet, de modo a evitar comportamentos de risco e a ajudar-nos a manter um ambiente seguro no nosso site. Recomendamos a participação de toda a família na criação das seguintes regras:

* Nunca revelar informação pessoal como a morada de casa, o nome da escola ou o número de telemóvel em centros de comunicação públicos como chats e fóruns. Antes de enviar qualquer tipo de informação por email, deve assegurar-se de que sabe com quem está a lidar. Deve pensar cuidadosamente antes de revelar informação pessoal como idade, informação financeira ou estado civil. Não publique fotografias dos seus filhos em fóruns ou sites abertos ao público. Considere o uso de um pseudónimo e evite inserir o nome e/ou email dos seus filhos em qualquer diretório e/ou perfil e procure descobrir qual é a política de privacidade do seu ISP (provedor de serviços de Internet) e, se possível, alterar as configurações do possível uso da sua informação pessoal.

* Ensine e encoraje a(o) sua(seu) filha(o) a ter cautela no que respeita à partilha de informação pessoal. É importante que os adultos tenham noção que muitas páginas web para crianças requerem informação pessoal antes de permitirem o acesso aos seus conteúdos. As circunstâncias variam e deve exercer o seu sentido crítico na hora de decidir quando e onde é imprescindível revelar informação pessoal. Uma regra simples e efetiva seria a criança ter que pedir a sua permissão antes de inserir o seu nome, número de telefone ou fotografia.

* Aprenda mais sobre a Internet e sobre os serviços utilizados pela criança. Se não sabe aceder às páginas e serviços da Internet, peça à(o) sua(seu) filha(o) para lhe mostrar como se faz. Tente saber mais sobre o que a(o) sua(seu) filha(o) faz na internet e que tipo de atividades estão disponíveis. Descubra se a criança tem uma conta de email, como por exemplo do Hotmail ou do Yahoo, e peça-lhe que partilhe o seu número de usuário e palavra-passe consigo.

* Fale com a(o) sua(seu) filha(o) sobre os riscos de marcar encontros com amigos virtuais. A Internet pode ser um salutar ponto de encontro de crianças, onde podem fazer amizades e saber mais umas sobre as outras. No entanto, para evitar experiências desagradáveis, é indispensável a companhia de um adulto, familiar ou amigo de confiança no caso de um possível encontro com um(a) amigo(a) virtual. De qualquer forma, a criança deverá sempre pedir autorização aos pais primeiro.

* Nunca responda a mensagens de conteúdo sugestivo, obsceno, hostil, ameaçador ou perturbador. Encoraje a sua criança a fazer o mesmo e a contar-lhe caso receba uma mensagem desse tipo. Se algum membro da sua família receber alguma mensagem ameaçadora ou com conteúdo sexual, por favor envie uma cópia da mesma ao seu ISP (provedor de serviços de Internet) e peça assistência. Ensine a criança a não abrir (clicar) em nenhum link contido em emails de pessoas que não conhecem. Tais links poderiam abrir websites com conteúdos sexualmente explícitos ou inadequados no geral, assim como vírus de computador. Se algum membro da sua família receber mensagens ou imagens indecentes, libidinosas ou obscenas com más intenções como incomodar ou ameaçar o destinatário ou se se deparar, durante o uso da Internet, com a transmissão ou exposição de pornografia infantil, por favor denuncie esse conteúdo imediatamente à NCMEC (Centro Nacional de Crianças Desaparecidas e Exploradas) através do número 1-800-843-5678 ou do seguinte website: www.cybertipline.com. Estabeleça regras e diretivas razoáveis quanto ao uso da Internet por parte da(o) sua(seu) filha(o).

* Lembre-se que as pessoas que conhece na Internet podem não ser aquilo que dizem que são. Uma vez que não é possível ver ou ouvir a pessoa, é fácil criar uma falsa identidade. Deste modo, alguém que se apresenta como “uma rapariga de 12 anos” pode ser, na verdade, um homem de 40 anos.

* Lembre-se que nem tudo o que lemos na Internet é verdade. Fique alerta quanto a ofertas que parecem boas demais para serem verdadeiras. Cuidado com ofertas que envolvam encontros ou visitas à sua casa, assim como envio de dinheiro ou de informação de cartão de crédito.

* Procure não ser demasiado crítico ou severo em relação ao uso da Internet por parte da(o) sua(seu) filha(o). Se a criança procurar intencionalmente sites de conteúdos inadequados, lembre-se que as crianças são naturalmente curiosas e que a exploração do mundo (inclusive o mundo virtual) faz parte do seu crescimento. Tente aproveitar o sucedido para debater o tema de forma aberta. Considere o estabelecimento de regras sobre o tipo de atividade em questão. Seja realista na sua percepção e avaliação do uso da Internet por parte da(o) sua(seu) filha(o).

* Estabeleça regras e instruções razoáveis acerca do uso do computador por parte da criança.
Discuta estas regras e exponha-as perto do computador como uma lembrança.
Lembre-se de monitorizar o cumprimento destas regras, especialmente no que respeita à quantidade de tempo que a criança passa ao computador. O uso excessivo de serviços online e da Internet, especialmente a horas tardias da noite, poderá indicar um potencial problema. Lembre-se que o computador e os serviços online não devem ser utilizados como “babysitters eletrónicas”.

* Verifique as definições de bloqueio e filtragem do computador. Esta deve ser uma atividade familiar. Poderá ser uma boa ideia manter o computador na sala de estar em vez do quarto da criança. Tente conhecer os seus amigos virtuais, da mesma forma que conhece os seus amigos e colegas da escola. Se a criança tiver um telemóvel, ensine-a a usá-lo de uma forma segura. Aplicam-se ao telemóvel as mesmas regras relativas ao computador.

* Ajude a(o) sua(seu) filha(o) a fortalecer o seu espírito crítico acerca dos conteúdos presentes na Internet. A maioria das crianças e adolescentes usa a Internet para melhorar e desenvolver os seus conhecimentos em relação aos trabalhos escolares e interesses pessoais. Todos os usuários da Internet – e particularmente os mais jovens – deveriam ter a noção de que nem toda a informação encontrada na Internet é verdadeira. Ensine a criança a conferir a veracidade de conteúdos ao comparar diferentes fontes de informação acerca do mesmo tópico.

*Tente saber mais sobre a “Netiqueta” – e ensiná-la à(o) sua(seu) filha(o). Por Netiqueta, entende-se um código informal do uso da Internet. Tal como no quotidiano, na Internet também há regras informais de comportamento e relacionamento com os demais. Estas regras incluem a gentileza, o uso de linguagem correta e o não gritar (escrever em maiúsculas) ou incomodar os outros. Além disso, nem as crianças nem os adultos deverão ler os emails de terceiros ou material protegido.

*Lembre-se que os aspetos positivos da Internet ultrapassam os negativos. A Internet é um excelente recurso educacional e recreativo para crianças. Ensine e encoraje a sua criança a ser alerta e a explorar todo o potencial da Internet .(Estas sugestões foram baseadas nos conselhos do órgão Americano www.safekids.com (Centro Nacional de Crianças Desaparecidas e Exploradas) e do acordo Europeu www.saftonline.org, Factos e Ferramentas de Segurança Online).

* Regras de segurança infantil online (imprima e mantenha perto do computador de casa)www.safekids.com/family-contract-for-online-safety

* A Stardoll sugere a visita aos seguintes links para mais informação relativa à Segurança e Privacidade das Crianças no Espaço Virtual:

- Comissão Federal de Comércio: www.ftc.gov
- Alerta Online: www.onguardonline.gov

Outros Recursos: www.inhope.org and/or www.saferinternet.org.

Os 10 mitos da segurança virtual:

www.saferinternet.org

Esta informação foi útil?

Precisas de mais ajuda?

Contacta-nos por Email